O que é milium e como removê-lo do rosto

03 setembro 2021

Os cistos de inclusão epidérmicos, também chamados de milium, são pápulas - "bolinhas" - múltiplas de queratina. Elas podem ser brancas ou amareladas e aparecem na camada mais superficial da pele, geralmente no rosto, com um a três milímetros de diâmetro. Áreas como bochechas, testa, base do nariz, pálpebras e atrás das orelhas são as mais afetadas.


Essas pápulas também podem aparecer no pescoço, mãos, costas e, raramente, dentro da boca, no couro cabeludo e nas partes íntimas. Para identificar o milium é preciso realizar uma consulta dermatológica. 

O milium surge, na maioria dos casos, por genética. Entretanto, é possível prevenir-se dessas "bolinhas" seguindo alguns cuidados com a pele, como:
  • Evitar exposição solar;
  • Usar protetor solar com frequência;
  • Manter uma rotina diária de limpeza de pele.
Diferença entre milium, siringomas e xantomas:

Por serem lesões que acometem a pele, é comum confundir milium com siringomas ou xantomas. Para diferenciá-las, é necessário passar por uma avaliação dermatológica minuciosa, pois cada uma requer um tratamento específico.

No geral, o milium são cistos de inclusão epidérmicos que surgem por genética ou exposição ao sol. Já os siringomas são tumores benignos que aparecem por causa da proliferação de pequenos ductos das glândulas sebáceas. Enquanto isso, os xantomas são pequenas lesões amareladas em alto relevo formadas a partir de gordura - que podem surgir em qualquer parte do corpo.

A retirada do milium pode ser feita de quatro maneiras, com:
  • Agulha;
  • Laser;
  • Peeling;
  • Medicamentos tópicos (ácidos).
O método usado para a remoção vai depender da localização e quantidade de "bolinhas". "Além disso, para reduzir a espessura da pele e facilitar a extração, podemos aplicar produtos como ácidos e esfoliantes". Por isso, não é recomendado remover o milium em casa.

Após a realização do procedimento, é preciso seguir alguns cuidados, como:
  • Evitar exposição solar sem proteção
  • Usar filtro solar a cada 2 horas
  • Usar chapéu ou boné
  • Fazer limpeza adequada e suave da pele.
Outro motivo para a proibição é o risco de infecção. Apesar de simples, o procedimento pode ser delicado, sendo necessário uso de material estéril e todos os cuidados de antissepsia.